Completados
Desgraça ao Seu Dispor
0 pessoas acharam esta resenha útil
7 dias atrás
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.0
História 6.5
Acting/Cast 8.5
Musical 9.0
Voltar a ver 3.0
Esta resenha pode conter spoilers
Levei uma eternidade para concluir este drama. Não exatamente pela história ser ruim, mas por trazer o tema da morte eminente da protagonista. A finitude, apesar de fazer parte da vida não é um tema que encaramos com leveza, encaramos sempre com pesar, especialmente se você pessoalmente lidou com a perda de uma pessoa próxima para o câncer.

Apesar de no fundo saber que de alguma forma mágica/sobrenatural a protagonista seria curada, passamos o drama todo com ela lidando com a morte eminente, se despedindo das pessoas e se apaixonando pela "Desgraça".

No final, como previa, a protagonista consegue sobreviver graças ao sacrifício da Desgraça. E graças a este sacrifício, ele recebe como dadiva se tornar humano e viver o seu amor. É bonito, considerando as circunstâncias em que os dois se conheceram, ambos querendo acabar com o mundo. É um drama lento, mas com final satisfatório.

Com relação aos personagens secundários, sinceramente, achei bem chatinha a história do triângulo amoroso entre a amiga da protagonistas e os dois amigos.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Meninos, Sejam Corajosos!
1 pessoas acharam esta resenha útil
7 dias atrás
8 of 8 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.5
História 7.5
Acting/Cast 9.0
Musical 7.0
Voltar a ver 8.0
Esta resenha pode conter spoilers

Confusa, mas apaixonante

Boys Be Brave tem todos os elementos de um bom BL. Uma direção competente, uma história caótica e apaixonante e personagens cheios de química e carisma. Eu gosto muito da proposta da série, apesar da execução ser um tanto corrida e confusa.

O casal principal funciona muito bem e eles tem uma dinâmica completamente caótica e de personalidade opostas que eu adorei acompanhar. Entretanto, eu sinto que o desenvolvimento entre eles é um tanto confuso. Toda a "amizade" que eles tiveram no passado e a forma como o Jung Ki Sub decide se mudar para a casa do Kim Jin Woo são pontos que realmente forçam a credibilidade da narrativa.

Outro ponto que acabou me decepcionando é o casal secundário. Eles tem uma narrativa bem picotada e mal recebem tempo de tela. O final entre eles é incompleto e eu realmente espero que eles lancem uma segunda temporada que desenvolva melhor o casal (já que a trama entre eles é de longe a melhor coisa da série).

No geral, é uma série divertida, com boas atuações, cenas engraçadas e uma boa química do elenco. A história não avança tanto e eu sinto que é um pouco comum e segura demais, mas o carisma dos atores e os momentos entre eles compensa. Uma excelente série para assistir sem muitas pretensões e outro excelente BL da Coreia lançado esse ano.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Last Twilight
0 pessoas acharam esta resenha útil
de iatrys
8 dias atrás
12 of 12 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 9.0
Voltar a ver 10
Esta resenha pode conter spoilers

relato de uma fangirl

Quando terminei de assistir a "Last Twilight" recentemente, percebi que tinha virado uma fangirl. Não sei se é a idade - tô ficando velhinha - mas hoje em dia me pego assistindo narrativas melodramáticas e que me ensinem coisas para além de desenvolver um par romântico. Se eu for escolher apenas um aprendizado, digo que este BL ensina sobre segundas chances, como disse a própria Pohjai em seu casamento: se permitir amar, se permitir viver, se perdoar etc. e a gente vai vendo cada um se dar essa segunda chance e dar uns aos outros de forma diferente para cada personagem. E eu AMO todos os personagens da série por isso, por suas lacunas e defeitos que os torna tão humanos. Aprendi a amar a mãe do Day e Night, o próprio Night etc. abraçando seus dilemas e me colocando no lugar de cada um deles. Não é um exercício que faço normalmente, mas esse gesto de empatia foi natural ao acompanhar o cotidiano desses personagens intrigantes.

Não acho a história arrastada, tampouco lenta, acho que ela inclusive dá contornos mais do que necessários principalmente no final da série. Doeu? Claro que doeu ver o Day e o Mok se separarem, mas fui tão convencida que concordei com a escolha do diretor. Amo demais todos os diálogos da série, todo o desenvolvimento do casal principal (acho que viraram meu casal fav, inclusive) e espero que eles estejam bem felizes (amém).

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Eu Não
0 pessoas acharam esta resenha útil
de iatrys
8 dias atrás
14 of 14 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 7.0
Voltar a ver 10

Algo a mais para contar

Sem spoiler! Depois de uns anos, finalmente reassisti "Not Me", e foi como se fosse a primeira vez. Fiquei me perguntando qual era a "mágica" da série/lakorn, e é algo simples. "Not Me" ganha uma estrela de ouro só por estabelecer seu lugar próprio, ou seja, de ter algo a mais pra contar ao telespectador para além de um óbvio desenlace amoroso. A história assume um papel didático, nos ensinando e ensinando ao White as consequências do capitalismo no cenário urbano tailandês (um beijo pro Gun que deu um show de atuação). Vemos o personagem principal ser arrancado de sua bolha monetária, de seu status, para lidar com a crueza do mundo e encontrar significados para sua própria vida com seus amigos e interesse amoroso. Tudo na história se volta para o suburbano da Tailândia, fotografada em sua nudez citadina: as avenidas, as ruas, a favela, as zonas indústrias, a casa que não é ambiente privado (a garagem, o prédio abandonado). Todas essas paisagens colaboram no processo de olharmos para aquele país sobre uma ótica que o diretor nos convence a ver: a Tailândia do dia a dia, do caos, das reivindicações etc. e sentimos sobre ela os movimentos de ação/conflito e o melodrama de cada personagem. A arte (as pinturas, o grafite etc.) também colore as zonas suburbanas, preenchendo de simbolismo político e dando mais uma camada maravilhosa para "Not Me".

Os personagens secundários não merecem esse título porque eles são muito mais do que só "amigos": cada um deles tem seu papel crucial e que soma a seu modo à grandeza da série. Todos eles são apaixonantes e verdadeiros, com seus dilemas, "problemas", o que for. Somos convencidos do drama de cada um e podemos até nos ver neles. Gostei demais do casting de todos os personagens, pois só de conseguirem passar esses sentimentos já denota que fizeram um bom trabalho. Não sou muito fã do main shipp, mas foi satisfatório acompanhar o desenrolar das coisas entre o Sean e o White.

Continua maravilhosa!

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Um Bom Dia Para Ser um Cachorro
0 pessoas acharam esta resenha útil
9 dias atrás
14 of 14 episódios vistos
Completados 0
No geral 4.0
História 3.0
Acting/Cast 7.0
Musical 5.0
Voltar a ver 1.0
Esta resenha pode conter spoilers

Caiu na previsibilidade

Acabei assistindo a esse drama como uma pesquisa a mais para o livro que estou escrevendo. E no geral... é uma bagunça.
Fiquei mais interessada no plot Histórico e no Deus da Montanha do que naquilo que vim procurando. Admito que o BoGyum acabou sendo meu personagem favorito, a construção do mistério e a tensão ao redor do seu personagem me cativou.

Entretanto, no fim, o plot da vingança dele pela morte do seu primeiro amor acabou no que eu mais temia, o desentendimento.
Na verdade os ancestrais do casal não mataram ela, e ele não viu porque ele olhou pro outro lado por 5 segundos. Achei uma coisa tão clichê, do tipo "eles são o casal principal, não podem ser do mal".

Acabou invalidando o luto do BoGyum e deixaram pra trás uma grande oportunidade de um desfecho inimaginável. Os ancestrais do casal poderiam sim ter entregado a mulher, o que levaria a sua morte, e o drama teria se voltado a tentar redimir o SeoWon e a Haena pelo simples fato de que eles não são seus ancestrais e toda a dor que a família da Haena passou com a maldição já pagou pela morte do primeiro amor do Deus da Montanha (só uma ideia, mas a execução seria bem mais elaborada). Mas essa história escolheu "apontar"pra um vilão.

Os últimos 4 episódios eu tive que ver em 1,.75 de tão enrolados que eles eram. Ao invés de ser 14 episódios, o drama poderia facilmente ter tido somente 10. Não li o Webtoon, espero que no Webtoon eles tenham elaborado melhor isso. Não necessariamente fazendo como eu faria, mas pelo menos sendo um pouco diferente dos demais.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Queijo na Ratoeira
0 pessoas acharam esta resenha útil
de kyuuko
9 dias atrás
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 1.0
História 1.0
Acting/Cast 5.0
Musical 5.0
Voltar a ver 1.0
Esta resenha pode conter spoilers

Não assista, se vc preza por sua saúde mental...

Não achava que era possível sentir o cheiro de chorume através da tela do celular, mas com esse dorama eu consegui.

Esse dorama é tão ruim que quero deletar da minha mente. Ele é tão ruim que nas cenas de comédia eu ficava espumando de raiva e nas cenas de romance eu queria arrancar meus olhos.

É realmente uma pena ter nomes grandes da indústria nesse lixo.
Esta resenha foi útil para você?
Completados
Uma Advogada Extraordinária
0 pessoas acharam esta resenha útil
de kyuuko
9 dias atrás
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 9.0
Voltar a ver 10
Só assistam pq esse dorama é incrível.

A atuação é impecável, os personagens são incríveis.

O roteiro não deixa a desejar, ele desenvolve bem os personagens importantes.

Os casos que aparecem são bem desenvolvidos

A fotografia, direção e efeitos especiais são lindos.

Enfim, é uma perfeição.
Esta resenha foi útil para você?
Completados
O Imortal
0 pessoas acharam esta resenha útil
de kyuuko
9 dias atrás
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 6.5
História 5.0
Acting/Cast 8.5
Musical 7.5
Voltar a ver 2.5
Esta resenha pode conter spoilers

Isso é um desabafo. Não leia se vc amou esse dorama.

Bulgasal tinha uma premissa boa, uma ideia ótima, mas foi muito mal executada.

A ideia de Bulgasal era ser um dorama diferente, ser cativante, mas ficou maçante e chato. Começando com a Hwal Young sendo uma batata, achei que iam desenvolver mais esse lado bulgasal dela, mas deixou a desejar, ela só corre, chora, e é quase morta umas 15 vezes. Hwal era para ser um personagem misterioso, um personagem sério sedento de sangue e movido por vingança, mas acabou ficando desinteressante. A irmã tem uma habilidade importante que só foi usada 2 vezes de forma efetiva no dorama todo.

Achei o vilão principal ruim, por que ele só não manda matar ela logo, ele sabe que ela não tem memórias, era só ele abrir o jogo de uma vez para Hwal, sei lá inventa uma história qualquer ele não tem as memórias de 1000 anos atrás mesmo.

Até agora estou tentando entender se o vilão era apaixonado por Hwal, ou se ele era obcecado, ou se era algo como uma subordinação/admiração.

Não entendo em como Hwal é um bulgasal a 600 anos e o vilão nunca conversou com ele, do tipo chegar nele e dizer "eu estou atrás da Hwa Young, pois a odeio também, vamos formar uma aliança?" pronto, era mais fácil pro vilão, que tem um milhão de subordinados, de matar ela.

O romance de Hwal e Hwa Young é mal desenvolvido e corrido, ele do nada começa a gostar dela e ela dele.

O final é ruim, não só por ser corrido, mas porque não era necessário matar a principal, só fizeram isso pra eles renascerem e ficarem juntos (????????????????????)

Contudo o que mais me irritou foi eles inserirem esse negócio de "ai a mil anos atrás blá blá blá..." nos 3 últimos episódios e só explicam o que rolou no último episódio.

Enfim, a atuação é boa, mas eles não conseguiram salvar um roteiro fraco desses.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
A Esposa do Meu Marido
0 pessoas acharam esta resenha útil
de kyuuko
9 dias atrás
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.0
História 7.0
Acting/Cast 6.5
Musical 9.0
Voltar a ver 1.0
Esta resenha pode conter spoilers
Marry My Husband começou bem, com enredo que me prendeu nos primeiros episódios. Fiquei envolvida na vingança da principal, mas foi ficando maçante, chato e entediante.

A atuação de Park Min Young e Lee Yi Kyung carregaram esse dorama, na minha opinião.

Esse é apenas mais um dorama clichê com um final previsível.
Esta resenha foi útil para você?
Completados
2 Worlds
0 pessoas acharam esta resenha útil
9 dias atrás
10 of 10 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.5
História 7.0
Acting/Cast 10
Musical 8.0
Voltar a ver 8.0
Ao elenco todo, perfeito, atuaram com maestria, claro, dentro do proposto pelo roteirista e diretor. A história seguiu sua premissa, que na verdade era isso, um amor entre "dois mundos" e sabemos que na cultura asiática isso meio que comum, faz parte de suas tradições e crenças, embora sempre haja no roteiro um excesso, mas sabemos que isso faz parte em todos as séries, filmes e etc...

Isso... foi uma jornada. Embora esta série seja definitivamente o melhor dos projetos de MaxNat até o momento, ela teve sua cota de problemas (as opções de edição são totalmente desconcertantes). No entanto, gostei de visitar este conto todas as semanas e havia uma espécie de magia na qualidade assíncrona da produção de episódio para episódio. iQIYI, como sempre, tem as piores traduções, o que também prejudica a série, mas com bastante familiaridade com o tailandês e/ou verificando as traduções dos fãs, certamente há poesia no roteiro, de vez em quando.

Deveria ter dado mais ênfase ao casal secundário, tempo teve, mas acredito que esta falha se por conta do roteiro.

Vale pelo menos um tempo, apesar de suas muitas falhas.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Desconhecido
0 pessoas acharam esta resenha útil
de eri
9 dias atrás
12 of 12 episódios vistos
Completados 0
No geral 6.5
História 6.0
Acting/Cast 9.0
Musical 6.5
Voltar a ver 6.5
Esta resenha pode conter spoilers

foi de 0 à 100 e de 100 à 0 muito rápido

conheci o bl através de um edit no qual Qian estava coberto de sangue, lutando para salvar o irmão não biológico - por quem mais tarde deveria se apaixonar. a partir dali, as minhas expectativas já eram altas. então quando li a sinopse da série, faltei urrar. um romance moralmente questionável? não sou contra isso (embora claramente não seja incesto). de fato, achei que eles poderiam ter idades um pouquinho mais parecidas, mas ok... eu já estava de quatro para esta série. o casting? simplesmente um dos melhores de taiwan. dos atores principais aos coadjuvantes (amei o vilão amorzinho da gangue; foi ótimo rever o queridinho de We Best Love) - enfim, eu estava entregue. do primeiro ep, até a metade da série, eu estava atordoada de amor pela história, que era densa, complexa, intensa, cheia de angústia e anseio e promessas: ingredientes perfeitos para um prato fresco de bl. mas então, pecaram por excesso. os últimos eps pareceram um conglomerado de informações mal elaboradas. toda a complexidade da trama sofreu um esvaziamento de simplicidade por ter sido reduzida à joguinhos de sedução que beiravam ao infantil, o amor incondicional de Yuan estava simultaneamente repleto de condições e abnegações que facilmente negavam o amor romântico que ele havia colocado em questão, e que havia mudado toda a história, todo o status quo da família até então. ora, se o fato de Qian não corresponder os sentimentos não fosse tão importante, então por que causar um dramalhão sobre isso? por que se confessar? por que exigir de Qian uma responsabilidade sobre esses sentimentos/confissão? isso não fez o menor sentido. e por falar em amor romântico, foi estranho: Qian realmente não pareceu sentir nada além do que amor fraternal por Yuan, até às últimas consequências. depois da confissão de Yuan, o que sobrou para Qian foi o luto da perda de um amor/amigo/irmão/identidade, e que de algum modo nos foi empurrado, em um pacote só, como sendo a manifestação de um amor romântico reprimido. se esse foi realmente o caso, isso não foi bem trabalhado, seja no roteiro/direção, seja na atuação de Modi Chiu. em nenhum momento antes da confissão de Yuan, Qian demonstrou desejo sexual/amor romântico pelo irmão, nem mesmo apresentou o mínimo desconforto com a ideia dos dois juntos, o que poderia nos deixar imaginando alguma coisa - qualquer coisa. nem sequer ciúmes da possibilidade de Yuan arranjar uma namorada Qian sentia. tudo foi apenas ... esquisito. era nítido que Qian amava Yuan, mas não mais do que ele amava a sua irmã, e ponto final. de início a quase fim, a história foi a de um amor unilateral. quando Qian finalmente cedeu a relação, a sensação foi esta: de que ele simplesmente cedeu a qualquer coisa, para nunca mais perder a relação com o Yuan, já que isso claramente lhe trouxe muito sofrimento. a paixão, o amor romântico, o tesão, o crush platônico... senão nos últimos instantes (logo quando Yuan retorna, e muito brevemente), é que a gente vê algo disso. pareceu forçado, e desinteressante. quando o potencial da história poderia ter sido apaixonante. até mesmo mais tarde, a cena de pegação dos dois, que tinha tudo para ser bonita (além do elemento visual/cinematográfico, claro), eles me trouxeram uma diálogo mixuruca de "isso não é rápido demais... eu esperei por 15 anos". então, afinal, tudo era sobre Yuan. um amor incondicional, só que egoísta. essa é boa. enfim. as contradições da narrativa me irritaram e brocharam infinitamente. só o fato d'Eu ter me decepcionado com a série foi uma decepção. e nem vou falar da tentativa chata de vender o slogan piegas de "toda forma de amor..." com a história paralela da irmã de Qian com aquele amigo dele mais velho. gosto de romance com age gap, mas esse foi absurdo, porque ela era uma pré-adolescente quando o cara já era bem de maior quando se conheceram, e mesmo que tenham ficado juntos quando ela estava maior de idade, isso me pareceu uma tentativa ridícula de validar o amor entre Qian e o irmão, sendo que a história deles já poderia falar por si, sem forçar a barra desse jeito. o tom final que a série adquiriu, de comercial de margarina, ou filme educativo de sessão da tarde para família tradicional, foi muito sem graça. decepcionante

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
O Amor é Como um Gato
0 pessoas acharam esta resenha útil
10 dias atrás
12 of 12 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.0
História 5.0
Acting/Cast 10
Musical 7.0
Voltar a ver 5.5
Esta resenha pode conter spoilers

Faltou um roteirista na história

O que vou expressar aqui é a minha opinião.
Foi muito bom ver o ator, Mew Suppasit, (Piuno) ou nosso eterno Tharn do BL TharnType. Meu o tempo todo trouxe consigo aquele “jeitão” dele carinhoso quando estava apaixonado por sua “esposa” o Type, o mesmo se repetiu ao longo desta história quando ele descobre seu amor por Chu Jim In (Dae Byeol).
O que faltou na série, acredito eu, foi a ênfase ao romance dos dois, acredito que o roteiro poderia ter sido muito melhor, atores bons tiveram.

Eu sei que muitas pessoas têm problemas com Mew, mas gostei da maneira como ele retratou seu personagem, ele era cauteloso e distante, mas tinha muito amor pelas pessoas próximas a ele. Eu também gostei muito do aspecto de dois idiomas. Houve momentos divertidos e momentos tristes e momentos em que tive vontade de gritar com o produtor, em parte, teve momentos que eu achei lento, gostei de conhecer os personagens, mas gostaria que houvesse mais dos dois protagonistas juntos. Sem falar que não teve um final bem definido.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Meninos, Sejam Corajosos!
0 pessoas acharam esta resenha útil
de eri
10 dias atrás
8 of 8 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.0
História 7.0
Acting/Cast 10
Musical 8.0
Voltar a ver 7.0
Esta resenha pode conter spoilers

hum... opinião nada popular: balgeum e ki sub podiam se beijar

assistir ao drama foi como embarcar em duas experiências completamente distintas, e relativamente sensoriais:

o casal principal foi como ser convidade a uma festa de pijama. então, de repente, no meio da madrugada, você é obrigade a sair desta festa, sem explicação plausível, e forçade à uma curta peregrinação em busca da filha perdida de um imperador sem nome. no próximo momento, a peregrinação sem sentido termina, também sem explicações, e você se encontra de volta debaixo de cobertores quentinhos, em um quarto aconchegante, na melhor festa de pijama do mundo. com direito a primeiro beijo, e tudo mais.

isto é dizer: ji woo e ki sub foram fofos. fiz análises nerds com minha irmã sobre o primeiro beijo deles? sem dúvidas. mas o que começou interessante, quase foi difícil de sustentar por falta de sustância na narrativa dos próprios personagens, e na trama do enamoramento. a simplicidade da resolução de conflitos beirou ao tedioso, e se não fosse pela química dos atores, poderia ter sido dolorosamente chato assistir aos últimos dois eps da série.

a dinâmica do segundo casal foi como a de encontrar o amor da sua vida enquanto você está com fome. e depois passar por um término terrível, ainda com o estômago vazio. pior: mais tarde, você escuta de terceiros, toda essa sua história de amor faminto ser reduzida à um mero crush.

ou seja, foi muito borocoxô a forma como do balgeum e in ho terminou. a insistência no tom meritocrático dessa narrativa do balgeum jogou pro ralo todo potencial romântico do casal. haviam tantas outras formas mais dignas de lidar com o tema. eles nem precisavam terminar juntos. um "vc é já suficiente" vindo do in ho teria sido bom o bastante para salvar a relação. isso me soou como escrita preguiçosa ou negligência total com o casal secundário.

resumidamente: tinha tanto potencial na história de ambos os casais...! e tudo foi tão descaradamente pouco explorado, que chega me dá tristeza ---- mas não o bastante. infelizmente, por esse motivo, o drama não impressionou tem cativou o bastante para uma lamentação apropriada. é uma pena, mas vou superar. existem bls piores, e com certeza haverão dramas melhores.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
My Aletai
2 pessoas acharam esta resenha útil
de fer
12 dias atrás
8 of 8 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 10
Voltar a ver 10

Eu vejo você

❝Na cultura cazaque, a amizade ou o amor entre humanos florescem ao serem vistos. Então, "Eu gosto de você" em Cazaquistão, "Men seni zhaksy koremin", significa "Eu vejo você claramente.❞

Uma obra prima! Em seus poucos episódios conseguiu transmitir leveza e profundidade. A fotografia parecendo que saiu direto do Studio Ghibli. Atuações excelentes, apenas com o olhar foi possível ver os sentimentos que queriam demostrar. Tudo muito bem dirigido e produzido. O desenvolvimento da história e a finalização sem defeitos. Terminei com gostinho de quero mais.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Príncipe do Café
0 pessoas acharam esta resenha útil
de fer
12 dias atrás
17 of 17 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 10
Voltar a ver 10

Perfeito!

Como não amar coffee prince? Simplesmente não erraram em nada! Elenco maravilhoso, química exorbitante, amizades lindas, história muito bem desenvolvida. Se existe um dorama conforto, é esse! Se fosse uma série de 8 temporadas, eu assistiria tudo!

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?

Discussões Recentes