Detalhes

  • Última vez online: 3 dias atrás
  • Gênero: Feminino
  • Localização: Rio de Janeiro, Brasil
  • Contribution Points: 118 LV2
  • Papéis:
  • Data de Admissão: julho 9, 2018

Debora Alves

Rio de Janeiro, Brasil

Debora Alves

Rio de Janeiro, Brasil
Completados
Bangkok Love Stories: Súplica
2 pessoas acharam esta resenha útil
Jul 30, 2019
13 of 13 episódios vistos
Completados 2
No geral 8.0
História 8.0
Acting/Cast 8.0
Musical 8.0
Voltar a ver 8.0
Em um domingo à noite, sem a mínima esperança de conseguir algo bom para assistir, me deparo com o lakorn. Sendo completamente sincera, se eu estivesse em pleno juízo não teria escolhido assistir o drama. Até então não tive muita sorte com novelas tailandesas e ainda não me acostumei com a sonoridade da fala. A falta de paciência para procurar algo de bom na Netflix também foi um plus a mais, entretanto o maior incentivo foi sem dúvidas o sorriso do Tee, nosso protagonista.

Que ator cativante, e nem falo da beleza e sim da simpatia, bondade e tranquilidade que o ator traz no rosto. Sem dúvidas o melhor personagem da história. O enredo da história é bem clichê (protagonistas de classes sociais diferentes, a família que não aceita o relacionamento, o "vilão" sendo o cara rico, a amiga da protagonista que gosta do vilão), mas sem aquele drama todo que vemos nos lakorns (claro que há um certo drama, mas tudo na medida; tá extrapola um pouco, mas não muito). Acho que o tempo de duração de cada episódio (aproximadamente 40 minutos) ajudou o drama ter um ritmo muito bom. O roteiro tem alguns furos, como na morte da mãe da Elle (sem detalhe para não dar spoiler), mas nada que prejudique. As atuações foram muito boas, tirando algumas faltas de expressão e reações desnecessárias, tenho que tirar o chapéu.

Como vocês já leram na sinopse, nosso protagonista é cego (na verdade ele fica cego logo no início do drama) e a história parece girar em torno dessa temática, contudo a religião aparece bem atrelada ao enredo, de certa forma é legal conhecer um pouquinho mais de outras religiões (os templos deles são lindos), mas o excesso dessas cenas acabaram fazendo eu usar o botãozinho de passar os segundos. Um outro ponto do enredo - que é bem legal - é quando mostra a independência de um deficiente visual, que ele não é um incapaz e tem todo o direito e consegue ter uma vida normal.

Não vou prolongar aqui para não soltar spoilers, entretanto se estiver precisando de um dorama para maratonar (porque vi em dois dias), recomendo Súplica (nome na Netflix). Um drama com bons beijos e com um final - que algumas pessoas não irão gostar - muito bom.

Ps: Uma das cenas que eu mais gostei foi a do cinema com a poltrona do amor. Hahaha

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Xi Qian Hua
1 pessoas acharam esta resenha útil
12 dias atrás
30 of 30 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.5
História 9.0
Acting/Cast 9.5
Musical 10
Voltar a ver 10

Um doramão de partir qualquer coração, recomendo.

Ainda estou surpresa com o tempo que levei para finalizar este drama, já tem bastante tempo que não "devoro" uma história como essa. Estou com os sentimentos a flor da pele. Um misto de alegria com um pouquinho de tristeza, mas com a certeza que foi um tempo bem gasto e que voltarei a assistir.

Não vou contar sobre a história, porque o interessante é ir desvendando as coisas, mas tenho que dizer, poucas histórias retratam tão humanamente seus personagens, não existe aquele personagem vilão ou herói, todos possuem defeitos e cometem injustiça para conseguir algo ou proteger seu ente querido, há uma pitada de egoísmo em cada personagem, mas há também aquela característica do ser humano de se arrepender e tentar fazer o melhor.

"O certo e o errado depende da perspectiva de quem vê, assim como o bem e o mal." - Mu Yao.

Gosto de prestar bastante atenção nos diálogos dos personagens e em Scent of Time os diálogos são tão bem construídos o enredo perfeitinho, mas um final tão "blah!", um típico final de um drama excelente, daquela forma que os roteiristas estão acostumados. O dorama conta com uma excelente ost, mas sou suspeita para falar, porque amo músicas do gênero, então tudo é bom. "Que lindeza a fotografia, que tratamento de cores!", as cores quentes do salão da mãe do Xi Wu são perfeitas. Os desenhos da abertura e do fechamento também são um charme a parte.

A pontuação acima já diz tudo, eu simplesmente amei o que assisti e só não dei 10 pelo pouco tempo que nosso casal passou junto. Sim eu queria mais tempo de tela com os dois; a química é pesada. Vou parar por aqui para não passar spolier.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
O Jogador
1 pessoas acharam esta resenha útil
Dez 17, 2018
14 of 14 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 10
Voltar a ver 10
Esta é a primeira vez, em todos os doramas que já assisti, que ter um "excelente" vilão não é relevante. Claro que não quero desmerecer os infinitos vilões deste k-drama, mas tendo nosso quarteto fantástico e o promotor Jang, não é necessário mais nada!

Sobre os personagens/atores

Promotor Jang: começando por ele que é um ahjussi do selo de dorama de qualidade, onde tem Kim Won Hae pode ter certeza que a história é altamente recomendada. Como a Coreia tem mania de rotular as pessoas, sugiro o nome "ahjussi da nação". Saindo do ator e indo ao personagem, dizer que o promotor é a peça chave não é spoiler e nem exagero, apesar de fazer algumas besteiras aqui e ali, ele foi o personagem de ações mais "humanas", onde acertava, errava, admitia o erro, tentava arrumar as coisas e foi decepcionado por pessoas em que acreditava. Apesar do drama não apresentar claramente, o promotor tinha tudo para se tornar um corrupto (como um dos chefes disse: "quem não tem 'conexões' fica para trás, enquanto que têm alcança os mais altos escalões) e não se tornou. Ele foi um personagem admirável.

Saindo da honestidade, vou falar do quarteto fantástico: os vigaristas.

Byung Min e Jin Woong: não tem muito que falar sobre eles, o primeiro é um gênio da informática e consegue encontrar com facilidade qualquer pessoa. Já o segundo é aquele cara bruto que mete medo, mas que é um doce de pessoa e que gosta de fazer suas cutículas. (rs)

Ah Ryung: a única menina do grupo foi largada em um orfanato e sempre foi muito sozinha e muito hábil na arte de roubar, até encontrar o trio ternura e melhorar ainda mais o quesito roubo.

Ha Ri: o ladrão mais cara de pau do mundo. Ele era tão sínico em algumas ocasiões, que me fez duvidar da minha sanidade mental por ficar apaixonada por ele. Claro que o charme do Seung Heon ajudou bastante (e como ajudou), mas o personagem em si é muito divertido, inteligente, safado e por incrível que pareça, leal. Esse foi um dos poucos personagens protagonistas que conseguiu me deixar com algumas dúvidas sobre o seu caráter e mesmo assim amá-lo.

Juntando essas quatro personalidades, temos o grupinho mais engraçado e produtivo de toda Coreia, porque os caras são bons demais!

Os vilões: não tenho muito o que dizer, teve vários, os atores eram bons, mas não teve um que brilhou muito. Claro que muitas das vezes queríamos matar "aquela pessoa", mas nada muito surpreendente. Dentre os vilões a que mais me chamou atenção foi a Hyun Ja, a mulher era do mal, mas ela exalava mais poder que o vilão principal.

Trilha sonora: não sou muito de prestar atenção nas músicas, mas teve umas 3 muito boas que pretendo baixar.

Romance (spolier): não teve. Se você, como eu, começar a shippar um certo casal e torcer MUITO por eles, vai se ferrar legal. Neste drama não tem romance (bem que eu queria), mas não tira o brilho da história.

Efeito especial/cenas de lutas: a Coreia sabe que é boa nesse quesito e investe legal nessa parte e nunca decepciona.

Plot: apesar do romance ser o maior sucesso dos k-dramas, a ação, sem dúvidas, é o gênero mais bem feito. Apesar da maioria das vezes ser bem clichê, o gênero consegue se sair melhor que o romance. De fato é o que acontece com Pan. O drama tem aquela parte vingança, mas não deixa de lado a comédia (bem leve) e a parte de investigação que te faz raciocinar, na metade do drama já tinha revelado grande parte dos mistérios, mas nem isso vai tirar a graça de assistir mais e mais episódios. O roteirista foi muito feliz nesta história, porque ele conseguiu deixar o telespectador com uma expectativa.

Final: sou uma pessoa extremamente chata com finais, na maioria das vezes que eu não curto o drama, o final é perfeito e quando amo de paixão, o final é uma bosta. A Coreia tem essa capacidade. Entretanto o final de Pan foi diferente, engraçado e bem completo, sem deixar muito para imaginação. Confesso que queria uma segunda temporada, não para fechar pontas, porque eles deixaram tudo fechadinho, mas eu queria ver esse quarteto roubando e desvendando novos mistérios.

Em resumo, se a Coreia for tudo isso que apresenta em Pan, menina(o), começo a pensar que os alguns políticos, policiais, servidores públicos e empresários do Brasil não são os mais corruptos do mundo, porque vou te contar, é corrupção para todo lado. Enfim, corrupção a parte, vale assistir esse drama maravilhoso.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Onde o céu encontra a areia
1 pessoas acharam esta resenha útil
Ago 16, 2018
11 of 11 episódios vistos
Completados 0
No geral 7.5
História 7.0
Acting/Cast 7.0
Musical 7.5
Voltar a ver 7.0
Em minhas experiências com lakorns, Fah Jarod Sai, sem dúvidas, foi o que terminei mais rápido. Desde o início tudo me agradou, começando pelo roteiro até a atuação. Eu particularmente tenho uma cisma com atores tailandeses, não consigo sentir o ator entrando no personagem, é tão mecânico que estou até agora bem surpresa por ter gostado das interpretações. Bom, vou começar a falar sobre o plot, que é muito diferente do que estamos acostumados. O drama é tailandês que se passa entre a França e um país do Oriente Médio.. Dá para imaginar a loucura? Quando vi que tinha Oriente Médio envolvido resolvi dar uma chance na hora, sou apaixonada por algumas partes da cultura (as roupas, as jóias, as decorações, as paisagens..). Puxando para a paisagem, tenho que dizer que a fotografia é muito boa, se comparada ao tempo em que foi filmada, entretanto os efeitos especiais são péssimos, mas isso não prejudica o andamento do drama.

Sobre os personagens, vou citar apenas alguns que chamaram minha atenção. Começando pela mãe do nosso mocinho, a Princesa Zubaida, a mulher tinha garra, enfrentou o vilão várias vezes, foi uma bruxa no final, mas eu gostei dela. O rei Ahmed no início parece ser um cara legal, depois fiquei com raiva dele, achando o mesmo muito arrogante e voltei a gostar dele.. enfim, sem muito a dizer. Nossa protagonista me conquistou no início, mas foi pela beleza porque o personagem era bem fraco, no decorrer eu comecei a ficar com raiva dela por destratar nosso mocinho.. Cara ela no início aceita ser concubina, SIM CONCUBINA do rei por um motivo bem tosco, e quando o mocinho começa a investir, ela fica de graça. Sério, não colou muito essa 'pureza', enfim, ela continuou fazendo merda no restante do lakorn.

O vilão foi bem ganancioso, malvado, louco, mas com um pouco de honra. Apesar de todas essas características ruins, me diverti muito com as caras e bocas que o ator fazia, deixava um pouco mais leve as maldades que ele cometia. O nosso mocinho, Sharif, foi o personagem que mais se destacou e o ator que melhor atuou. O prota é aquele personagem TDB. Tem um sorriso, um olhar, um corpo, muita determinação, muita lealdade (até demais), é romântico e além de tudo isso é lindo e sucessor do trono. Mas tirando todas essas qualidades, eu achei interessante a forma que ele trata as mulheres, bem diferente de outros personagens e dos costumes do seu país.

Finalizando.. recomendo.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
A Bruxa Boa
1 pessoas acharam esta resenha útil
Jul 9, 2018
40 of 40 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.0
História 9.5
Acting/Cast 9.5
Musical 9.5
Voltar a ver 8.0
O que dizer sobre esse dorama espetacular?

Tive um certo receio de começar a assistir por causa dos protagonistas serem mais velhos dos que estou acostumada a assistir. Um pensamentos besta, eu sei! Resolvi dar uma chance porque o trailer conseguiu chamar minha atenção e como já era de se esperar, fiquei apaixonada.

Acredito que a maior parcela de todo esse meu amor se deve a pequena Cho Rong, que atriz mirim maravilhosa (OhYeah!) e ao fofo e sexy capitão Song Woon Jin (que ator maravilhoso, ainda estou impressionada com a sua desenvoltura com a ioga), não desmerecendo os outros personagens, mas só pelos dois já vale assistir 40 eps.

Também curti muito o desenvolvimento da nossa protagonista, ela deixou de ser uma besta para ser uma pessoa firme sem deixar de ser gente boa, como ela mesmo disse: "Pessoas boas também ficam com raiva e você vai saber que essa raiva pode ser bem grande."

Se você tem alguma dúvida se deve ou não assistir, só te digo uma coisa.. ASSISTA!

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Reino
1 pessoas acharam esta resenha útil
Mar 14, 2019
6 of 6 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.0
História 9.0
Acting/Cast 8.5
Musical 10
Voltar a ver 9.0
Estou impactada!

Começo uma pequena resenha enaltecendo esta obra de arte, que apesar de poucos capítulos e nem ter sido finalizada (já que teremos uma segunda temporada) é sem dúvidas a melhor série de zumbis, deixando no chinelo The Walking Dead - e digo com toda certeza, já que sou fã desta.

Kingdom apesar de tratar de dois assuntos bem explorados - zumbis e a dinastia Joseon - juntar os dois estilos foi realmente uma boa jogada e quase um indicador de sucesso, mas essa ideia já tinha sido colocada em prática (de uma forma um pouco diferente, em outro ponto histórico) por um filme americano e não foi nada bom. A diferença da série coreana para o filme americano é sem dúvida o roteiro e a direção.

Esteticamente falando: Kingdom é sem dúvidas espetacular. Belos cenários, fotografia extraordinária, lindos figurinos e uma maquiagem surreal. Eu realmente não me surpreendo muito, porque a Coreia traz essa qualidade em 90% dos seus trabalhos cinematográficos.

Os atores: são bons, nada de muito extraordinário, eu ainda não fui totalmente conquistada pelo protagonista e a mocinha é meio sem graça (apesar de ser bem decidida), quem realmente chama atenção é a rainha e seu pai (conselheiro do rei), ambos não valem o pão que comem e durante todos os seis episódios do drama quis acabar com os dois, entretanto sem eles a série não teria tanto impacto.

Zumbis: são nojentos, sem sombra de dúvida, mas a maquiagem é excelente, eles são bem ágeis, lembra muito os zumbis de "Guerra Mundial Z" filme do Brad Pitt, então pode imaginar a loucura que é.

Não sei que fim terá essa história e se ficarei feliz com as próximas temporadas, mas até agora estou apaixonada e na expectativa por mais. Não vou me aprofundar muito para não dar spolier, porque a história não é extensa, mas quero compartilhar a cena que eu achei a melhor de todas: a rainha e o seu pai estão perto do lago e ele fala sobre o que é poder, para a rainha é apenas dinheiro, para o seu pai é muito mais, seria a forma de abafar todos os assassinatos que ele já cometeu. Detalhe, o lago está repleto de corpos das pessoas que ele matou. Muito sinistro, mas adorei!

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Batendo Novamente
1 pessoas acharam esta resenha útil
Jul 9, 2018
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.5
História 10
Acting/Cast 10
Musical 10
Voltar a ver 9.5
“É 100% de certeza que todo aquele que nasceu, morrerá. De todas as coisas que eu conheço, a coisa mais justa é a morte. Eu já estou quase lá. Eu só preciso aguentar mais um pouco.” – Min Ho

Comecei a assistir esse dorama há exatos 12 meses e por mais que tenha gostado desisti da história e quase um ano depois resolvi voltar a ver, comecei ontem no capítulo 1 e fiz uma mega maratona para fechar o ep 16. Eu realmente não recordo do que me fez parar de assistir, mas com toda certeza ainda tenho em mente o que me motivou a começar e a retornar ao dorama.

Jung Kyoung Ho e Yoon Hyun-Min são os culpados, já tinha me apaixonado por eles em Cidade Cruel na qual eles são uma dupla de amigos, ambos tinham tanta química juntos que quando descobri que eles estariam juntos novamente resolvi assistir, agora eles são inimigos e gente, eles ficam bem juntos em qualquer situação.

Agora com o dorama finalizado estou contente de poder assistir a atuação deles, a história foi bem desenvolvida, com muitas reviravoltas e atitudes inteligentes. A personagem principal surpreendeu bastante pela sua maturidade, os personagens secundários eram uns amores. O dorama tem muitos pontos fortes e poderia ser considerado perfeito se o final não fosse tão corrido, acho que daria para desenvolver mais um ep para deixar as questões bem fechadas, mas acredito que seja algo rotineiro de doramas coreanos, quando a história é muito boa o final não será muito satisfatório, mas reclamações a parte, quero recomendar e muito. Vale assistir!

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Quando Um Caracol Se Apaixona
0 pessoas acharam esta resenha útil
Fev 17, 2020
21 of 21 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.5
História 10
Acting/Cast 10
Musical 8.5
Voltar a ver 10
Ji Bai é um detetive de polícia, bem conceituado, chefe da Unidade de Crimes Violentes. Xu Xu é uma investigadora, mais ligada a área da psicologia, que estuda o perfil dos criminosos. De início Ji Bai não quer Xu Xu em sua equipe, pois mesmo sendo extremamente inteligente a mulher é um desastre no condicionamento físico, ou seja, sedentária como eu e isso acaba sendo inadmissível para Ji Bai. A relutância de Ji Bai vai caindo quando percebe que Xu Xu é esforçada e está fazendo o possível para melhorar, então eles começam uma estranha relação de professor/aluno/interesse amoroso.

Posso dizer que iniciei o ano com o "pé direito", meu primeiro drama foi When a Snail Falls In Love. A história é baseada no romance de mesmo nome da autora Ding Mo.

Xu Xu (ou para os mais íntimos Chuchu): Uma mulher muito inteligente quando o assunto é perfil criminal e uma lesma quando se trata de relacionamentos. A personagem e seu irmão mais velho ficaram órfão de mãe e foram criados apenas pelo pai, o que parece ter motivado seus hábitos, juntamente com bullying. O que me chamou a atenção na personagem foi que seus problemas da vida não a afetavam, ela sempre dava um jeito de dar a volta por cima.

Ji Bai: Um jovem policial bem sucedido que de deixou de lado as influências da sua rica família para lutar pela justiça. Ele é super inteligente, um bom líder, tem uma voz sensacional e exala uma sensualidade que misericórdia, mas é bem fechado emocionalmente.

O drama é bem fiel a Web Novel até certa parte da história, acredito que seriam necessários muitos episódios para abordar todos os casos que encontramos no livro e o romance dos protagonistas, mas os produtores conseguiram encaixar tudo muito bem. Na realidade a história de amor entre os dois foi o que mais senti falta, mas confesso que a química dos dois protagonistas conseguiu satisfazer esse espírito romântico que há em mim. Dizer que fiquei viciada no drama não é necessário, sem muita enrolação irei passar os principais motivos pelos quais você deve sintonizar o drama.

Wang Kai(Ji Bai): Não irei falar da beleza do menino pois não é necessário, mas quero exaltar seu trabalho. Eu não conhecia o ator e fiquei apaixonada pela convincente atuação como Ji Bai, já comecei a assistir outros trabalhos do ator e o cara é bom.

Wang Zi Wen (Xu Xu): Sem dúvidas a minha atriz chinesa favorita, só assistindo esse drama fica difícil dizer o quão boa Zi Wen é, porém recomendo assistirem um pequeno trailer de Ode to Joy e vocês verão o quanto essa atriz pode se camuflar.

Desenho: A abertura nos mostra alguns animais em desenho e é tão bacana a explicação para tal. Xu Xu além de todas qualidades já descritas, é uma ótima desenhista e logo que chega na Unidade de Crimes Violentes ela começa a desenhar seus colegas de trabalho, o interessante é que ela os representa como animais, de acordo com seus perfis, ela por exemplo se desenha como um caracol/lesma e Ji Bai é representado por um leão.

Resolução de crimes: Comecei a me sentir uma versão brasileira de Sherlock Holmes, eu fiquei tão empolgada nas resoluções que no final dos episódios ficava fazendo uma ligação entre os personagens, com os perfis dados pela Xu Xu para tentar encontrar o criminoso e descobri alguns.

Química: O romance é quase inexistente no drama (mas bem detalhado na Web Novel) e acaba se tornando um bônus. Acho interessante a construção desse amor, vai fluindo tão naturalmente que você se pega fazendo parte de um triângulo amoroso, eu fiquei apaixonada pelos dois. Posso ter dito que queria que o romance do livro fosse mais representado no drama, entretanto a química dos dois atores foi suficiente. Já citei na resenha o drama Ode to Joy e por incrível que pareça Zi Wen e Wang Kai são um par romântico e eles só reforçam a minha opinião de que eles devem se casar.

Se você não se importa em assistir um drama que não tenha o romance como assunto principal, certamente irá gostar dessa história.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Bombeiro Nu
0 pessoas acharam esta resenha útil
Ago 23, 2018
4 of 4 episódios vistos
Completados 0
No geral 10
História 10
Acting/Cast 10
Musical 9.5
Voltar a ver 10
Como alguns doramas que realmente amei, esse foi mais um que comecei assistindo por engano.

Eu confundi o protagonista Lee Joon-hyuk com o ator Jo Jung Suk (no qual sou apaixonada) não que eles se pareçam, pensando melhor, eu realmente não entendo como pude fazer essa confusão.

Enfim, Naked Fireman é um dorama que você começa imaginando que é uma história bem "..." pela tradução do nome, mas infelizmente, esse 'nu' não é levado ao pé da letra. Brincadeiras a parte, a história já começa bem impactante e deixa o telespectador bem curioso e criando teorias sobre quem é o criminoso, entretanto o mais legal desse roteiro são as reviravoltas que acontece e você fica cada vez mais confusa tentando encaixar as coisas.

Não vou falar dos personagens porque é um drama com apenas quatro episódios e eu posso acabar, sem querer, passando alguma informação. A única coisa que posso escrever é que Joon-hyuk ganhou uma fã, o cara é carismático demais, esse é meu primeiro dorama com ele mas estarei procurando por outros. Em relação ao final, não darei spoilers, mas foi desnecessário, porém muito bem feito. O roteiro não deixou nenhuma ponta solta, o que é bem surpreendente para uma história com tão poucos capítulos.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Amor Não Correspondido
1 pessoas acharam esta resenha útil
Ago 2, 2019
24 of 24 episódios vistos
Completados 1
No geral 9.0
História 9.0
Acting/Cast 9.0
Musical 8.0
Voltar a ver 9.0
"Eu devo me respeitar", começo minha resenha com uma fala da nossa protagonista.

Não sei se todos, mas acredito que grande parte do público brasileiro conheceu ou irá conhecer o drama através da Netflix, entretanto a sinopse que está lá desanima aqueles que gostam de um drama um pouco mais maduro. Quando vi o nome do drama junto com a sinopse pensei que seria uma nova versão de Playful Kiss e juro que corri da cilada, depois de alguns dias encontrei uma postagem no twitter falando profundamente da história e acabei percebendo que não era nada do que estava imaginando. Bom, a história é basicamente de uma menina que ama em segredo e o cara (que é lindo, inteligente e super popular) não enxerga a mocinha. Aí você vem com a pergunta: - Então é a mesma coisa de sempre? - Sim e não!

Acho que para desenrolar um pouco tenho que falar da nossa mocinha (Luo Zhi), ela conheceu o protagonista (Huai Nan ou 4) ainda quando criança, estudaram juntos (não lembro se foi só no ensino médio ou também no fundamental) e acabaram entrando na mesma faculdade. É bom deixar claro que a Luo não corria atrás dele como uma maluca, tanto é que mesmo depois deles se tornarem amigos o Huai Nan demorou muito para perceber que a Luo gostava dele. A menina era tão madura, inteligente e divertida que conquistou o Nan, o secundário e de brinde me conquistou.

Depois que os dois se "conhecem", na faculdade, a história segue um caminho padrão (começar a amizade; aparecer o secundário; começar o romance e aparecer problemas). Bom, o que não falta é problema, algumas coisas são meio surreais, mas a maioria são casos que realmente acontecem na vida dos jovens e é em meio a um desses problemas que a minha admiração pela protagonista aumenta, ela diz aquela frase do início da resenha e gente, que tapa na cara do Huai Nan (que apesar de ser um menino de ouro, as vezes é tapado demais). E depois disso ainda tem rolos e rolos, contudo não vai encher sua paciência porque os episódios são pequenos e isso é uma porcaria porque você acaba assistindo um episódio atrás do outro. Vou parar por aqui para não dar spolier.

Gostaria de fazer algumas menções honrosas: a primeira será para o grupo de amigos do Huai Nan, eles referiam a si mesmo em números, sendo o Huai Nan o número quatro. Eles realmente foram amigos bem ativos e super legais, lembraram muito os meninos de Love 020 (acho que vou assistir novamente, bateu a saudade); não posso também esquecer da tia e os priminhos do Huai Nan, que família divertida.

Menção desprezível: Toda pessoa normal sempre fica com raiva do vilão, mas neste dorama tem uma personagem que consegue ser mais insuportável que a vilã. Shui Jing é uma "amiga" da Luo, elas se conheceram no ensino médio e mantêm contato (na verdade a Jing que fica forçando um contato e você irão entender o motivo), até uma determinada parte do drama ficava com pena da forma fria que a Luo tratava a Jing, mas conforme os episódios foram passando, percebi que a menina era uma cobra e depois ficava com aquela cara de sonsa, que raiva. Minha vontade era de entrar na história e dá uns tabefes na garota. Tiveram outros personagens que também me fizeram perder a paciência, mas ninguém foi pior que a Jing.

Enfim, o enredo que tem todas as características para ser bem clichê conseguiu uma protagonista forte e justa e isso é bem diferentão (pela temática que o enredo apresenta). Os capítulos curtos também ajudaram bastante, como disse anteriormente, você fica querendo ver um atrás do outro (minha intenção era ver os dois primeiros capítulos, quando percebi já estava no sétimo). A fotografia do drama é excelente e os diálogos são bem estruturados, sem falar nas boas atuações. Não sei se vocês repararam, mas a China tem melhorado muito em romances contemporâneos, o forte deles eram os de época, mas agora estão mandando bem em ambas categorias.

Depois do meu texto acima, se eu não recomendar Unrequited Love estarei louca.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
O Romance de Uma Bruxa
1 pessoas acharam esta resenha útil
Jul 26, 2018
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.0
História 9.0
Acting/Cast 10
Musical 8.5
Voltar a ver 8.5
Witch's Romance está entre meus dez primeiros doramas assistidos, lembro que o assunto chamou minha atenção pelos meus pais terem uma diferença de idade e minha mãe ser mais velha. Conforme ia assistindo os episódios pude comparar com a história que meus pais contaram e era interessante ver que algumas situações iam batendo. Mas devido ao aparecimento de um determinado personagem acabei ficando com raiva e desisti do drama. Depois de mais de um ano, resolvi voltar a assistir e um pouco mais madura em relação ao início da minha vida dorameira, consegui contornar esse personagem (apesar de achar ele desnecessário) e finalizei o dorama.

Se você está pensando que esse dorama possa ser clichê, você está enganado. Normalmente estamos esperando aquele dorama calmo, com uns beijos no último episódio, algo bem família coreana, mas aí somos surpreendidos, logo no início já rola uns beijos e bastante pegação, claro que depois continuamos sendo enrolados por muitos episódios, mas a química dos protagonistas é tão boa que você esquece de tudo e fica satisfeita. O que eu mais gostei nesse drama é que ninguém recriminou a Ban Ji Yeon de namorar um cara mais novo, o que acontece em vários dramas, os pais de ambos protagonistas foram uns amores. O casal de amigos da Ji Yeon foram uma graça a parte, sempre levando humor. Soo Cheo, amigo do nosso protagonista, foi o personagem responsável por boa parte do humor da história, tinha horas que achava que ele gostava do Dong Ha mais do que um amigo, (hahaha) um dos melhores bromance. É realmente impressionante ver como o Hyun Min consegue fazer personagens completamente diferentes e se encaixar em todos eles.

Yoon Dong Ha, nosso protagonista, com apenas 25 anos demonstrou ser uma pessoa responsável e madura apesar da pouca idade. Ele é aquele homem perfeito que toda brasileira quer: trabalhador, honesto, maduro, responsável, fiel, amigo, romântico e com o bônus de ser bonito e rico, ou seja, perfeito. O personagem e a atuação extraordinária do ator, me deixou apaixonada por Park Seo Joon (se vier ao Brasil estamos aê!) e ele, sem dúvidas, foi o motivo de ter retornado a assistir o drama. O final como já era de se esperar não foi lá grandes coisas, mas foi bonito. Super recomendo o drama.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Vai, Cara de Lula!
1 pessoas acharam esta resenha útil
Dez 21, 2019
41 of 41 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.0
História 10
Acting/Cast 10
Musical 8.5
Voltar a ver 10
Go Go Squid é um drama tão gostoso e divertido de assistir que eu consegui ver todos os capítulos duas vezes, sim duas vezes, em um único mês. E confesso, pretendo ver novamente.

A história se inicia com o encontro de Tong Nian com Han Shangyan em um cyber café dos tios dela, na verdade Tong Nian não tinha nada para fazer, já que estava de férias, resolveu ajudar o primo e acabou encontrando o amor da sua vida (infelizmente ainda não tive essa sorte, sempre que vou ajudar alguém da família essas coincidências não acontecem). Depois desse encontro Tong Nian tenta entrar em contato com Han por diversas formas, sem êxito. Entretanto por obra do destino ela consegue encontrá-lo em um aeroporto e a história irá desenrolar.

Tong Nian é uma nerd de 19 anos que está fazendo pós-graduação e além de inteligente ela é uma "celebridade" na internet, bem comunicativa e com bastante iniciativa. O engraçado é que todas essas qualidades somem quando ela encontra o Han, ela faz algumas trapalhadas, mas tenho certeza que foi um dos motivos que fez nosso emburrado se apaixonar. Nian é uma personagem que aparenta ser bobinha, mas tem muita personalidade e protege o que é seu. Eu não sei quem foi e nem o que tinha na cabeça quando fez o figurino da Nian, não teve uma roupa que salvasse (um dos pontos negativos do drama, não que isso influencie na história, mas eu amo a "classe" das roupas orientais, então acabou sendo uma decepção o guarda-roupa da protagonista).

Han Shangyan (Gun/o "deus das armas") de 29 anos, foi um famoso jogador de Capture The Flag - CTF ("no âmbito da tecnologia CTF é uma modalidade de competição entre hackers desafiados a desvendar problemas sobre Segurança da Informação". ~sim eu pesquisei) e por alguns problemas, que no decorrer do drama irá sendo explicado, seu grupo acaba se desfazendo e ele se aposenta. Anos depois ele funda um clube de CTF e seu maior sonho/objetivo é ganhar o campeonato mundial para a China. Ele é um cara meio antissocial e de acordo com suas palavras, "ele não estava interessado em mulheres e nem em homens" (hahaha). De início fiquei um pouco cismada com ele pela sua, constante e amarrada, cara e o medo dele ser um boy lixo foi grande (ultimamente não estou com paciência para personagens do gênero), a minha surpresa foi que o personagem "frio" era um amorzinho quando ninguém via, ele era bastante exigente, mas cuidava dos seus. Eu realmente gostei dessa personalidade "paizão" que ele tinha com as pessoas, mesmo sendo apenas nos bastidores, tirando algumas decisões idiotas que todo ser humano faz, Han Shangyan foi um personagem admirável.

Os meninos do KK, clube do Han, foram o motivo da maioria das minhas gargalhadas, apesar de ser um grupo grande, apenas cinco eram mais participativos. Demo e 97 são meus preferidos por serem indiscretos, fofoqueiros e empata beijo.

Grupo SOLO, o ex grupo do Han, não vou dizer nada sobre eles porque posso acabar soltando algum spoiler, contudo a amizade dos cinco é bonita de se ver. Confesso que no desenrolar da trama acabei tendo um crush pelo Solo (o líder) e achei que o final dele poderia ter sido melhor trabalhado.

Ainda temos a família do Han composta por seu avô, sua madrasta (que é uma verdadeira mãezona) e seu primo Wu Bai (que é o líder dos meninos do KK, apesar de gostar do ator, achei o personagem bem sem graça, mas consegui captar o objetivo). O avô e a madrasta querem, de qualquer maneira, que Han case e depois de muita confusão Tong Nian acaba se tornando a namorada de mentira do Han. Enquanto a família Han super apoia a "união", a família da Tong Nian, mas precisamente a mãe, a tia e a prima rejeitada, não aceitam Han e esse plot é a parte que todo um drama acontece. Uma conversa entre a mãe da Tong Nian e o Han foi a cena mais pesada da história e acabei pegando uma raiva da mãe, porque nenhum cuidado com a filha justificaria as palavras ditas para o Han.

Apesar dos problemas, o casal teve muitos momentos fofos e poucos conflitos. Os beijos não foram os melhores, entretanto teve mais contato físico do que o esperado. Mesmo com a diferença de idade e personalidade, ambos foram respeitosos sem querer a mudança forçada do outro. O desenvolver do relacionamento, de fictício para real, foi interessante e bem natural.

Go Go Squid foi uma bela surpresa não só pelo enredo, mas pelo elenco e fotografia (eu ando abismada com a melhora gritante que a China tem tido com a fotografia em dramas que não envolve a fantasia, até um tempo atrás a Coreia ganhava em relação ao tópico, mas a China tem dado passos largos e está alcançado a Coreia), claro sem falar do nome. Deus! Quem foi a pessoa audaciosa que colocou o nome de um drama de "Vai, cara de lula", tudo bem que no decorrer da trama entendemos o porquê do nome, mas ainda continua sendo ridículo.

Sem muitas falhas no enredo Go Go Squid é um ótimo drama para assistir.

Atualização (um dia após a postagem da resenha): Ainda estou no meu momento obsessivo por Go Go Squid e por obra do destino encontrei a novel Stewed Squid With Honey da autora Mo Bao Fei Bao, que inspirou o dorama (encontrei a tradução no site doramas24horas). Minha recomendação é que assim que terminarem de assistir a série corram para ler a novel, todas as cenas quentes que faltam no drama (até entendo o porquê) você encontra no livro, além dos pensamentos do Han sobre a Nian (que são bem divertidos). Neste caso não há o livro ou o drama sendo "o melhor", eles se complementam.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Por Causa do Amor
0 pessoas acharam esta resenha útil
Dez 27, 2022
30 of 30 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.0
História 9.0
Acting/Cast 9.5
Musical 8.5
Voltar a ver 9.5

Because of Love sem dúvida é o drama que mais se assemelha a vida real, que eu já assisti.

Because of Love sem dúvida é o drama que mais se assemelha a vida real, que eu já assisti. Claro, há um questionamento de que uma conversa franca e sincera resolveria 80% do problemas criados, mas somos seres humanos e acabamos errando.

A história inicia contando sobre o relacionamento juvenil entre Nie Yu Sheng e Tan Jing e como a vida de cada um ficou depois de um brusco término. Nenhum dos dois conseguiu seguir em frente e estavam vivendo uma vida de m*rda. Não irei me aprofundar para não passar spoiler.

O drama no geral é muito bom, mas houve algumas cenas desnecessárias nos dez últimos capítulos, mas não é algo para desmerecer o roteiro, que precisa ser enaltecido. Que trama bem trabalhada, vários plot twists e um final bem fechado, apesar que mudaria o final de dois personagens.

As atuações estão em alto nível, não conhecia nenhum ator/atriz, mas quero parabenizar Wallace Chung, que foi do alegre ao amargurado em segundos; tem uma cena que o Dr. Nie chora e é espetacular. Há também o pequeno Mi Ke que rouba a cena várias vezes, esse menino tem futuro.

Diálogos bem construídos, principalmente os do último capítulo. Confesso não ter prestado muita atenção a trilha sonora, até porque assisti alguns capítulos em espanhol, mas há uma música muito comovente e gostosa de ouvir ( Mu Tou - Forgot to Tell Me).

Surpresas: Shu Qin, que mulher maravilhosa, não errei em nada ao confiar nela, uma personagem forte, amiga e que não fugiu dos seus princípios por ninguém. Sun Zhi Jun, apesar dos erros, também foi uma grata surpresa, quanto mais ficamos sabendo dele, mas se admira.

Desapontada: Tan Jing errou tantas vezes nesta história, há sim uma certa culpa de Dong Yuan, mas ela também foi culpada e me pareceu que no final ela não reconheceu o fato. Ela sofreu muito e foi uma guerreira, mas a forma que ela tratava Yu Sheng, por diversas vezes, me fez questionar se ela realmente merecia o amor dele. Apesar do meu 'chateamento' com Tan Jing, ninguém me decepcionou mais do que Sheng Fang Ting. Já tinha desvendado o mistério dele nos primeiros capítulos, mas acreditava que poderia ser diferente, mas ele acabou se afundando e manipulando as pessoas.

Vou parar por aqui antes que passe um spoiler, enfim recomendo o drama, mas é bom deixar claro que é uma história mais adulta, com muito, muito, muito drama e desentendimentos. Prepare um lencinho que você irá precisar.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
Pousando no Amor
0 pessoas acharam esta resenha útil
Fev 22, 2020
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.5
História 9.5
Acting/Cast 10
Musical 9.0
Voltar a ver 10
Pousando no amor tem dois temas que eu amo: casal com personalidade diferente e a descoberta de um novo mundo. Claro que o drama não fica só nisso, mas foi o que me chamou atenção.

A história é clichê? Sim e muito, mas já imaginava algo do gênero. Entretanto as boas atuações, um bom enredo com diálogos bem construídos levam a história a outro patamar. Não é o melhor drama que já assisti na minha vida, mas deixará saudades e ensinamentos, e quem sabe mais para frente eu assista novamente.

Os primeiros minutos da história já mostra um escândalo amoroso de Se-ri (que aproveita para transformar em uma ação de marketing para sua marca, empreendedorismo na veia) e uma reunião de família para escolher o sucessor da empresa do pai, assim começamos a perceber o caráter de cada membro da família e a personalidade forte e decidida, além da inteligência da protagonista. Logo já tem uma mudança de cenário onde Se-ri salta de parapente em um ato promocional da sua roupa esportiva, mas o tempo muda e Se-ri acaba sofrendo um acidente e vai parar na Coréia do Norte onde encontra o Capitão Ri e seus subordinados.

Pousando no amor, como o próprio nome já diz, tem um grande foco no amor. Existem vários casais no drama com histórias diferentes, entretanto quero focar nos dois principais casais. Ambos são formados por pessoas de personalidade, caráter, nacionalidade e realidade diferente então é muito interessante ver o amadurecimento, a compreensão e o respeito de um com o outro. Os dois casais passam por diversas dificuldade e é tão difícil e dolorido acompanhar e infelizmente o final de um dos casais é tão triste, acredito que o roteirista ao tentar aproximar a história para uma realidade resolveu adicionar esse final. Meu coração romântico não concorda, mas a consciência percebe que era a única saída para a situação.

Além de um doce romance, o drama trás como tema a corrupção. Ao contrário de outros dramas que vemos uma corrupção exagerada na Coréia do Sul, a culpa de "nação da corrupção" vira para Coréia do Norte. No desenrolar do drama era tantos militares envolvidos no esquema que eu já não sabia em quem confiar. Como sempre a ambição pelo dinheiro era mais importante, contudo algumas pessoas queriam o poder, lembro quando Gu Seung-joon tentou oferecer dinheiro para Jo Cheol-kang e ele disse que dinheiro não era importante, o que ele queria era poder para conseguir matar pessoas sem precisar dar satisfação a alguém, também foi interessante ver que outras pessoas praticavam atos errados não pela ambição de dinheiro e poder, mas porque tinham medo, eram ameaçadas.

Outro tema abordado é a traição, eu já tinha uma ideia que teria treta com a família da Se-ri e não confiava na madrasta (que acabou sendo uma surpresa) e nos dois irmãos Yoon Se-joon (o mais velho) e Yoon Se-hyung (o do meio). Considero os dois irmãos idiotas tanto em atitudes atrapalhadas quanto em capacidade intelectual, a diferença é que Se-joon era manipulado por sua esposa ambiciosa, porém boba; enquanto Se-hyung fingia ser manipulado pela esposa ambiciosa e sem caráter. Eu realmente gostei do pai da Se-ri, ele não era desses que só veem os filhos homens como os melhores, ele via a competência, tanto que escolhe Se-ri para substituí-lo na empresa (não é spoiler). Temos também várias traições pelo dorama, foi realmente "engraçado" ver os bandidos se traindo para ganhar mais dinheiro.

Achei válido, apesar de fantasiosa e romantizada, a abordagem do Capitalismo do Sul x Socialismo do Norte. Não estou aqui para defender nenhum dos dois modelos, até porque ambos têm seus defeitos, mas é de dar dó quando percebemos que as coisas mais banais para nós é algo surreal para alguns personagens, até mesmo para os ricos, como, por exemplo, a casa de Seo Dan que era bem sucedida, tinha uma mãe rica e um tio com alta patente no exército, era bem simples, considerada uma casa de classe média.

A tensão, o clima de guerra entre Norte e Sul é tão real como o drama aponta, pesquisei um pouco sobre a história dos dois países e será muito difícil ter a tão sonhada unificação apresentada no drama. É interessante e inteligente como o drama usa a Suíça como palco do romance dos protagonistas, o país tem uma história de neutralidade, ele não toma nenhum lado em uma guerra entre outras partes, então um romance que é proibido tanto no norte quanto no sul, na Suíça essa proibição não tem valor.

Aproveitando que estou falando da Suíça quero parabenizar o diretor de fotografia, as cenas na Suíça eram lindas, os efeitos especiais sem dúvidas foram o ponto negativo do drama, acredito que poderiam ter investido um pouco mais nessa área. O figurino foi bem planejado, era tão fácil identificar um nortista e um sulista, até mesmo quando um norte-coreano ia para o sul você conseguia ver a diferença.

A química nesse dorama ultrapassa os personagens principais. Tanto o casal Ri Ri quanto o casal Dan Joon conseguem passar que realmente existe um amor ali,apesar de ambos serem impossíveis. Outra química apresentada é entre Se-ri e seus cinco cavalheiros (grupo composto pelo: zangado, dorameiro, bonito, jovem e o capitão Ri), sem dúvidas as melhores cenas eram as quais um desses cavalheiros estavam, eles fizeram a diferença. Um outro grupo que teve bastante química e destaque foram as mulheres da vila, elas aparentavam ser interesseiras e bajuladoras, entretanto quando a dificuldade vinha para uma delas, todas se juntavam para apoiar a que necessitava, uma bonita amizade.

Seri's Choice é o nome da marca da protagonista e este nome que é apresentado no começo tem um grande significado no decorrer da trama, nós podemos acompanhar as decisões/escolhas não só da Se-ri, mas de outros personagens como o Jeong Man-bok, um personagem louvável e que no final apesar do medo e das ameaças conseguiu enxergar que o bem deve prevalecer independente da nossa felicidade. "Seja através de sorte ou do meu bom senso, sempre fiz as escolhas certas." - Se-ri

O elenco do drama foi de peso, conheço o trabalho uns 10 atores, então já conhecia a capacidade de atuação. Fiquei mesmo surpresa foi com o elenco mais novo, que apesar da inexperiência, conseguiu ir muito bem. Tenho total certeza que a maioria dos novos atores irão ter muitas oportunidades depois de Pousando no amor.

Como todo final de um bom kdrama, eu não gostei (kkk). Eu não sei o que os roteiristas pensam. Confesso que o final foi bonito e o epílogo deu um charme a mais, porém eu queria mais, na verdade ainda quero mais. Gostaria de falar um pouco mais sobre alguns pontos do drama (como a diferença entre a medicina dos dois países), mas tenho medo de acabar soltando algum spoiler desnecessário. Bom, Pousando no Amor é um romance bem clichê, mas bem estruturado e ouso a dizer que é o melhor drama de comédia romântica de 2020.

Ps: Acabei de descobrir a referência do drama ao filme Secretly Greatly, que legal!!

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?
Completados
O Que Houve Com a Secretária Kim?
0 pessoas acharam esta resenha útil
Set 9, 2018
16 of 16 episódios vistos
Completados 0
No geral 9.0
História 9.0
Acting/Cast 10
Musical 8.0
Voltar a ver 9.0
Um dorameiro para escolher um novo drama sempre tem um motivo, o diretor, um plot diferente e muitas das vezes são guiados pelo atores, confesso que na maioria das vezes assisto pelo atores e foi o que aconteceu com What's Wrong With Secretary Kim, vários atores de peso estão na "novela" e dois dos meus atores preferidos em relação a comédia, Park Seo Joon e Kang Ki Young (eu nunca assisti um dorama que eles eram sérios, vou dar uma pesquisada em todos os trabalhos de ambos) fazem parte do elenco principal. Outro fator que me motivou muito a acompanhar a história foram o teasers com os protagonistas mirins, eu realmente fiquei encantada com o talento dos pequenos atores. Então começou a minha saga de espera, (porque só inicio um dorama depois que o mesmo termina, porque não tenho um pingo de paciência para esperar) só consegui terminar o drama na semana passada e tirei a conclusão de que valeu apena esperar, eu simplesmente adorei.

Apesar de aparentemente ser um plot bem simples e sem muitas revelações, a história vai crescendo, não só romanticamente, mas alguns mistérios surgem e logo são revelados (não é nada muito complexo). Mesmo o plot sendo clichê em algumas partes, em outras foi bem original, como o nosso protagonista, por exemplo, ele é rico, "deslumbrante" (segundo o mesmo e não posso discordar), narcisista, mas era bem fofo, um bom amigo e que tratava as pessoas com respeito (bem, mais ou menos), eu realmente gostei muito do personagem. Em relação a protagonista o personagem foi bem comum, nada muito surpreendente, entretanto a atriz é muito bonita e talentosa, achei que ela teve uma química incrível com o Seo Joon (estou shippando muito). Os dois personagens protagonizaram um romance fofo demais e muito engraçado, realmente foi um casal divertido de assistir, confesso que queria um especial só com os dois.

Saindo a 'aura' de fofura tenho que admitir que fiquei balançada por outro homem no drama, o irmão do nosso mocinho, Lee Sung Yeon, foi um personagem complexo, que comecei odiando e terminei sentindo uma pena do cara, porém gostei de como foi a evolução e o fim do personagem. Bom, não quero passar nenhum spolier, então não vou comentar muito aqui, mas não posso deixar de dar um salve para os pais dos protagonistas que eram muito amáveis e que respeitavam, de certa forma, a vontade dos filhos, sem se intrometer, muito, na vida deles (por mais pais assim nos doramas).

Em resumo a história foi bem desenvolvida e não deixou nenhuma ponta solta, mas claro que, como toda boa dorameira, eu esperava por um final espetacular com um "50 anos depois" e nossos protas velhinhos. (hahaha) Brincadeira, foi um final satisfatório. Li algumas pessoas reclamando e criticando muito a história, mas particularmente eu até me surpreendi com o rumo dos acontecimentos, porque esperava um plot muito, mais muito clichê mesmo. Recomendo o dorama, mas não vá com muito sede ao pote, você pode acabar se decepcionando como algumas pessoas.

Leia Mais

Esta resenha foi útil para você?